Arquivo

Posts Tagged ‘backup’

Como fazer o backup das configurações de host do VMWare ESXi 5

5 de junho de 2012 12 comentários

 

Quando falamos em proteger um ambiente virtual temos muitas coisas a considerar. Além de backups de suas máquinas virtuais você precisa fazer o backup das configurações de seus hosts.

O Backup das configurações é muito importante tanto para um Disaster Recovery ou mesmo quando vamos atualizar a versão do Hypervisor.

Para fazer o backup do host do ESXi você precisa do vCLI instalado em um servidor e você também pode usar o vMA.

 

Para fazer o backup basta segui os passos:

1 – Instale o vCLI; (faça instalação padrão “NNF” (Next Next Finish)) (Download)

2 – Crie uma pasta onde será gravado o backup;

3 – Abra o prompt de comando;

4 – Vá até a pasta de instalação do vSphere CLI que por padrão esta em C:\Arquivos de Programas\VMware\VMware vSphere CLI\bin

5 – Execute o comando: (As informações em vermelho devem ser alteradas para as de seu sevidor)

vicfg-cfgbackup.pl -server ip_do_host_ESXi -username nome_do_usuario -password senha -s caminho_e_nome_do_arquivo_de_backup.txt

No exemplo eu criei uma pasta backup dentro da raiz C:\ então o comando ficou:
vicfg-cfgbackup.pl -server 192.168.0.100 -username root -password ***** -s c:\backup\backup.txt

Dependendo de onde você for salvar o arquivo pode ocorrer uma falha na gravação do backup por “access denied” você precisa executar o prompt em modo elevado (Executar como administrador)

Agora para restaurar o backup das configurações é muito mais simples, basta executar o comando:

vicfg-cfgbackup.pl -server ip_do_host_ESXi -username nome_do_usuario -password senha -l caminho_e_nome_do_arquivo_de_backup.txt

 

Pronto agora você já pode fazer o backup das suas maquinas host que são tão importantes quanto as máquinas virtuais.

 

Esse post foi útil? Deixe um comentário.

Anúncios

Finalmente Lançado o Google Drive

25 de abril de 2012 Deixe um comentário

 

Depois de muita espera a gigante Google entra na onda do “drive virtual”.

O Google Drive é um serviço gratuito que dará 5 GB de espaço para armazenar arquivos e com a possibilidade de compartilhá-los assim como o Dropbox.

Não adianta sair correndo para instalar o programa, pois não são todas as contas que possuem esse recurso, a Google irá disponibilizar ao poucos aos seus usuários.

Para verificar se você já pode utilizar esse recurso acesse https://drive.google.com/start e no canto superior direito da tela irá informar se você já possue ou não o recurso, caso ainda não você pode solicitar que seja enviado um email para você quando ele for disponibilizado.

 

Ainda há outros planos pagos para quem quiser mais espaço.

Infelizmente ainda não tenho esse recurso habilitado para dizer exatamente como ele funciona.

Mas uma coisa legal é que você poderá abrir seus arquivos diretamente com o Google  Docs e assim a máquina que você estiver usando não precisa ter o “Office” instalado para poder editar qualquer arquivo.

Agora acessem suas contas google e boa sorte para que ele já esteja ativo para vocês.

 

Esse post foi útil? Deixe um comentário.

Criando um disco de reparação do Windows 7

26 de outubro de 2011 Deixe um comentário

As pessoas dificilmente fazem o disco de recuperação e quando ocorre um problema na inicialização do Windows 7 muitas vezes não consegue arrumar e acabam formatando o computador.

Esse disco que é feito em alguns minutos pode te salvar de uma grande dor de cabeça e de muito trabalho para recuperar tudo.

Para fazer é muito fácil, basta ter um DVD virgem (limpo) e seguir os passos:

1 – Vá em “Iniciar” => “Todos os programas” => “Manutenção” => “Criar um disco de Recuperação do Sistema”.

2 – Coloque o DVD no computador e clique em “Criar Disco”.

3 – Quando terminar clique em “Fechar”.

 

Assim como informa na janela final, escreva no DVD “Disco de Recuperação do Windows 7 xx-bits” e deixe guardado.

Dessa forma se um dia precisar reparar o seu computador você já tem a ferramenta certa para isso.

Esse Post foi útil? Deixe um comentário.

Robocopy

19 de março de 2011 Deixe um comentário

Sempre que preciso copiar vários arquivos (ou arquivos enormes) entre partições, HD externo ou pastas compartilhadas em rede eu uso o Robocopy. Ele está disponível desde o Resource Kit do Windows NT e nativamente desde o Windows Vista / Server 2008 e posteriores.

Robocopy

Por padrão o Robocopy é uma ferramenta de sincronismo de pastas, isto é, se um determinado arquivo do ponto A (origem) já existir no ponto B (destino) ele não será copiado novamente (a menos que o arquivo do ponto A sofra alguma modificação). Portanto também é uma interessante forma de backup.

O propósito desse artigo é demonstrar o uso do robocopy em dois cenários que encontro com facilidade em ambiente corporativo:

* Replicação de arquivos/pastas quando temos um link lento/instável entre a origem e o destino
* Arquivar (mover) arquivos antigos de um file server para um HD USB (ou para outro local)

Mesmo se você já for usuário do Robocopy vale a pena consultar a documentação recente para conhecer as novas funcionalidades.

Para as dicas abaixo eu estou considerando alguns recursos disponíveis no Robocopy que vem no Windows 7 / Windows Server 2008 R2 (alguns parâmetros podem não funcionar em versões anteriores):

Cenário 1: Replicação de arquivos/pastas quando temos um link lento/instável entre a origem e o destino

Se você precisa replicar todo o conteúdo de uma determinada pasta compartilhada em rede (ex.: \\SERVIDOR\Conteudo\Dados) para o seu HD USB (ex.: E:\Download) através de um link lento, ou não muito confiável, minha sugestão é executar o Robocopy a partir de um arquivo .CMD, possibilitando sincronizar todo o conteúdo mesmo que durante o processo de cópia ocorra algum problema com a rede.

Crie um arquivo Download.CMD a partir do bloco de notas com o seguinte conteúdo:

:1
ROBOCOPY \\SERVIDOR\Conteudo\Dados E:\Download\Dados /MIR /MT:10 /Z /R:2 /W:2
goto 1

A única utilidade desse arquivo .CMD é executar o Robocopy em loop para recomeçar de onde parar o processo de cópia (argumento /Z) se houver problemas com a rede ou com algum dos PCs/Servidores. Se houver falha na cópia de algum arquivo duas tentativas serão realizadas (parâmetro /R:2), com um intervalo de 2 segundos entre elas (parâmetro /W:2). O parâmetro /MT:10 (novidade) permite cópia multi-thread (quem usa RichCopy adora isso) de 10 arquivos em paralelo (e não apenas um arquivo por vez).

Cuidado com o parâmetro /MIR, pois ele espelha todo o conteúdo, inclusive pastas/subpastas. Se na pasta origem, por exemplo, você tem 10 arquivos a pasta destino terá os mesmo 10 arquivos. Se você copiar algum arquivo extra no destino e rodar o comando novamente esse arquivo extra será apagado (porque não existe na origem). Se você quiser apenas uma cópia “incremental”, mantendo os atuais arquivos na pasta destino substitua o /MIR pelo /E.

Parâmetros extras:

* /XF *.mp3 – ignora arquivos com extensão .MP3
* /XF temp – ignora pastas com o nome “temp”
* /COPYALL – copia todos os atributos dos arquivos como data/hora, segurança…

Dica extra: Quer controlar a data/horário de início do robocopy, além de duração máxima de sua execução (por exemplo, agendar um download/upload apenas em horário não comercial)? Use o Agendador de Tarefas do Windows (Task Scheduler).

Cenário 2: Arquivar (mover) arquivos antigos de um file server para um HD USB (ou para outro local)

Suponha que temos a necessidade de arquivar (mover) todos os arquivos com mais de 3 anos de uma pasta \\SERVIDOR\Docs para a pasta E:\Docs. A sintaxe seria:

ROBOCOPY \\SERVIDOR\Docs E:\Docs /MOVE /E /R:2 /W:2 /MINAGE:20080309 /LOG+:E:\log.txt /TEE

Esse comando vai mover (/MOVE) todos os arquivos, inclusive pastas e subpastas (/E), exceto os arquivos mais novos que 09/Março/2008 (o parâmetro /MINAGE:20080309 move os mais antigos, mantendo os mais novos), registrando todo o processo em um arquivo de log incremental (/LOG+:”E:\log.txt”). O parâmetro /TEE permite acompanhar no prompt de comandos o andamento do todo o processo de cópia (importante quando usamos algum parâmetro de log).

Como essa operação envolve a operação “mover” (copia para o destino e apaga na origem) eu recomendo incluir o parâmetro /L para simular o processo. Quando você estiver ciente de que a sintaxe está correta remova o parâmetro /L.

Para conhecer todos os parâmetros do Robocopy digite no prompt de comandos ROBOCOPY /? e bom divertimento!

Post retirado de http://marcelomatias.wordpress.com

Esse Post foi útil? Deixe um comentário.

%d blogueiros gostam disto: